Carta de um filho esquerdista para seu pai

*Luiz Fernando Leal Padulla

Reluto em escrever. Penso um, duas, várias vezes. Isso porque meu maior desejo hoje era poder sentar com você e poder conversar. Sim, conversar ao invés de escrever. Ouvir e ser ouvido. Mas sei que é impossível. Seu ódio te torna irracional; te cega. E infelizmente, te transforma em uma figura que não reconheço.

Só queria entender de onde vem tanta raiva. Justo de você, meu exemplo desde criança. Aquele que sempre me dizia para ter a consciência tranquila, fazer as coisas certas, lutar pela justiça e ajudar ao próximo. E de repente, é como se tudo isso desmoronasse.

Como eu queria poder sentar contigo e conversar…

Mas ao invés disso, me atacou. Com mensagens e emails, tentou me desestabilizar e me ofender pelo que pensava e escrevia. Não foi fácil ignorar. Confesso que chorei muito no início, mas depois preferi culpar a irracionalidade ao invés de seu coração. Sei que quando o assunto é Lula, você se transforma. Mas você não é isso.

Só queria entender o que Lula lhe fez.

Como pode ter tamanho rancor de uma pessoa? E não adianta falar aqueles jargões batidos e mentirosos de que “Lula quebrou o Brasil…Lula roubou….Lula isso, Lula aquilo”. Isso já foi desmentido e provado. Não cola mais. Não é esse o motivo. Até porque se fosse isso, jamais poderia ser cúmplice do PSDB e seus corruptos, não é mesmo?

Lula foi e é um estadista. Tem o respeito, admiração e reconhecimento mundial por todos os benefícios que fez e trouxe para o Brasil. Como ele, éramos a 6ª maior economia do mundo. Com ele, saímos do mapa da pobreza, demos dignidade para as pessoas. Não era isso que sempre me mostrava, pai, quando me ensinava a dar roupa e comida para as pessoas que em nossa casa tocava a campainha? Ajudar os mais necessitados?

Graças aos programas sociais de seu governo, pudemos dar condições melhores para as pessoas menos favorecidas pelo sistema capitalista. Lembra como era difícil fazer as compras do mês? E trocar de carro ou viajar de avião? Inimaginável para nossa família nos tempos sombrios da política entreguista/neoliberal do PSDB!

Pai, nunca fomos classe alta. Sempre classe média…muitas vezes baixa. Sabe melhor que eu o quanto suou para nos oferecer o melhor que estava ao alcance. Não entendo de onde vem essa ira toda.

Será que é justa essa sua braveza? Lula não foi perfeito, mas quem o é? Há muita coisa por ser feita, o que inclui uma das mais sérias: democratizar a mídia, para evitar a deturpação da imagem daqueles que vão contra os interesses do capital. Só assim é que as pessoas passarão a ter acesso a informação de qualidade, sem a manipulação tendenciosa.

Veja, por exemplo, o caso recente do golpe – travestido de impeachment – que deram na presidenta Dilma. Viram o que te venderam, assim como para tantos outros que acreditaram nessa falácia?

Lembra-se que alertamos o que estava por trás disso? A política neoliberal do PSDB?

Lembra também de que eles diziam que “basta tirar a Dilma que a coisa melhora”? Seja sincero: melhorou? Gasolina e gás de cozinha constantemente reajustados com a nova política econômica do Henrique Meireles, preços subindo (apesar da propaganda da mídia – golpista, lembre-se disso! – dizendo que não temos inflação!).

E o que dizer do reajuste do salário mínimo, com reajuste inferior à inflação? Sim, sua aposentadoria foi afetada e perdeu poder de compra.

E a tal corrupção? Acabou? Muito pelo contrário, não é mesmo? Enquanto Dilma dava carta branca para investigar e punir os corruptos, o golpe foi dado para barrar as investigações – ou, como sabemos para “estancar a sangria” – contra os verdadeiros bandidos!

Para mim e seus netos, outro legado do “impeachment” foi a reforma trabalhista, que visou agradar apenas o empresariado, escravizando e precarizando ainda mais o trabalho e o trabalhador. E mais coisa vem por aí, com a reforma da Previdência. Triste, né?

Estava escancarado o objeto do golpe, pena que nem todos quiseram enxergar e, cegados pelo ódio, preferiram nos hostilizar. Os tais movimento apartidários, como o “Vem Pra Rua”, apoiado pelo homem mais rico do Brasil, Jorge Paulo Lemann, e o MBL, financiado externamente por dinheiro de petrolíferas ianques tinham o objetivo claro de derrubar a presidenta que impedia o atendimento dos interesses dos Estados Unidos e do empresariado. Ou tirava-se ela, ou os empresários e empresas privadas não teriam chance alguma.

E assim fizeram, enganando parte da população, política e geopoliticamente analfabeta. Por isso que digo: a ignorância política é um dos problemas mais sérios em nossa população!

Não irei julgá-lo se prefere defender políticos e partidos de direita – mesmo não concordando – que pensam apenas na elite. A mesma elite que nos deixava – e deixa – de escanteio; a mesma elite que sonegava impostos, ria de nossa cara e se orgulhava de seus whiskies, viagens e pescarias com amigos “classe alta”. Só sei que não posso concordar em seguir o mesmo caminho.

Saiba que minha decisão em assumir “ser esquerda” não foi uma mera revolta. Li, ouvi, estudei e vi muita coisa até chegar aqui – e não foi através do “Estadão”, “Veja” e cia. Não posso compactuar com injustiças sociais, econômicas e ambientais. Ser “esquerda”, querido pai, vai muito além de partido A ou B, de político X ou Y.

Sou esquerdista porque luto pela igualdade de oportunidade para todos. Porque luto pelo ambiente e contra as grandes corporações que degradam nosso planeta – lembra-se de nossas conversas sobre poluição, agrotóxicos? Sou esquerdista porque quero um país mais justo em suas políticas econômicas, que olhe para as classes menos favorecidas. Por isso milito e apoio a agricultura familiar, o MST, MTST e tantos outros grupos sociais. A sustentabilidade, alicerçada em seus três pilares – ambiental, social e econômico – só é possível através de atitudes coerentes!

Mais do que uma questão partidária, sempre disse – ou tentei – que havia mais coisa por trás. Basta olharmos e vermos a ascensão do BRICS e do Pré-Sal, o que alarmou demais os interesses dos Estados Unidos e FMI. Sim, esse país terrorista sempre influencia nas políticas dos países (Síria, Afeganistão, Iraque, Cuba, Chile, Argentina…são alguns dos exemplos que poderíamos conversar). Ah! Eu não era nascido, mas você deve se lembrar da “Operação Brother Sam” elaborada durante a Ditadura Militar, certo?

É pai, nosso país estava indo para o caminho certo. Com todo suporte de nossa economia pré-golpe, suportamos bem a recessão que afetou o mundo todo a partir de 2008. Éramos um país hegemônico, com reservas a causar inveja. Mas hoje, pós-golpe, estamos na lama e governado pelos verdadeiros corruptos como bem definiu a revista alemã “Der Spiegel”. Nossa soberania está seriamente ameaçada.

Por isso mesmo que o legado que Lula construiu para todos nós, e que aos poucos está sendo dizimado pelo (des)governo do PMDB/PSDB sob uma letargia/hipnose do povo, é digno de defesa. Lula pode ter todos seus defeitos sim, mas suas conquistas para nosso país são incontestes. Devemos muito a ele sim! Lembra da Farmácia Popular que tanto nos ajudou e agora está extinta? E quantos puderam estudar e conseguir diplomas?

Além disso, como parte final deste golpe/impeachment, é claro o julgamento político que o tal juiz (sic) Sérgio Moro está fazendo. Felizmente, a máscara deste sujeito está caindo e o mundo está de olho no que está fazendo com nossa pátria. Veja bem: não somos contra as investigações, muito menos com as punições contra os corruptos. No entanto, exigimos que seja aplicada a verdadeira e única lei, com respeito aos processos e as provas. E, mais do que isso, que deixem as empresas – uma vez que são vários os empregados destas – funcionando.

Mas não é isso que vemos. A parcialidade e a releitura abusiva de leis, sem provas, está ameaçando seriamente a segurança jurídica de cada cidadão. Sem falar que as atitudes da tal “Lava Jato” (cujo nome mais adequado seria “Farsa Jato”) estão quebrando a indústria nacional em subserviência os interesses, principalmente, dos Estados Unidos (lembremos do Programa Nuclear e, como sempre, da Petrobrás).

O que estão fazendo com Lula, é a mais absurda perseguição política! Sem falar que abre um precedente jurídico extremamente perigoso para qualquer cidadão! Já pensou se alguém resolve te culpar de um crime que não cometeu, e o juiz aceita o pedido baseado apenas em delações forjadas?

Enquanto isso, os verdadeiros corruptos – com provas e mais provas! – seguem intocáveis, sob a proteção de togas parciais, provando que não há comprometimento imparcial dessa Justiça.

Enfim, era sobre essas coisas que queria conversar com você. Queria ouvi-lo também.

Talvez se entendesse que Lula representa muito mais do que aqueles memes e o que lê nos jornalões tradicionais; entenderia o real motivo de não apenas eu, mero mortal, apoiar e defender Lula, mas Chico Buarque, Oliver Stone, Bono Vox, Costa-Gravas, Mario Prata, Wagner Moura, Marilena Chauí, Beth Carvalho, Emir Sadder, Pepe Mujica, Cristina Kirchner, José Trajano, Noam Chomsky, Ana Cañas e tantos outros.

Afinal, o que está em jogo não é o Lula, o PT ou qualquer outra escolha. O que está em jogo é a soberania de nosso país. O mesmo país que outros te enganaram dizendo defender “de verde e amarelo”.

Um grande e carinhoso beijo do filho que te ama muito!

(Esta é uma obra de ficção, qualquer semelhança com pessoas ou situações da vida real terá sido mera coincidência…ou não!)

 

*Professor, Biólogo, Doutor em Etologia, Mestre em Ciências, Especialista em Bioecologia e Conservação

 

 

 

 

 

 

Anúncios

2 comentários sobre “Carta de um filho esquerdista para seu pai

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s