À luz da tocha olímpica

No dia 20 de julho, estive junto com outros amigos na avenida Brasil, em Americana (SP), no ato que marcou a passagem inédita da tocha olímpica em nossa cidade. Fiquei feliz em presenciar este momento histórico. O fogo e toda a simbologia da tocha merecem respeito, assim como as pessoas que lá estiveram para vê-la e aquelas que foram escolhidas para carrega-la. Tirando as tramoias que envolveram tal evento, assim como as prioridades que deveriam ter sido atendidas antes de qualquer coisa, não podemos nos esquecer do real significado do fogo olímpico: jogos que unem povos e nações.

tocha Pe Aramis 20 07 2016
Foto que retrata de forma ímpar a passagem da tocha olímpica: a alegria do evento, sem esquecer do golpe em curso no país (Crédito: Pe. Aramis)

Estivemos presente por outro motivo também: protestar e mostrar ao público que, apesar da festa, não esquecemos do golpe em curso no país. Não desrespeitamos o momento nem a causa, mas protestamos sim de forma pacífica, com gritos, faixas e cartazes, contra o governo ilegítimo de Temer.

No entanto, o que mais me alegrou nesta tarde foi a possibilidade de dialogar com algumas pessoas de bem que chegaram até nós com dúvidas. Um deles foi um jovem casal. O rapaz, ainda que encabulado, no instante que nos viu ao seu lado com as faixas e os gritos de “Fora Temer”, nos perguntou se acreditávamos que Dilma era realmente inocente.

Disse que, em se provando que ela também tenha culpa, deveria sim ser punida – o que não foi até então. O rapaz assustou. Jamais imaginava que iríamos falar isso – afinal, pelo ouve por aí “os petralhas são ignorantes, defendem os corruptos, estão desesperados, blá blá blá” – a velha retórica daqueles que destilam ódio irracional e incoerente com a realidade.

Disse que a questão não era defender simplesmente Dilma ou o PT – salientei inclusive que eu mesmo não era filiado a partido algum –, mas que havia muita coisa por trás do “impeachment” e seus protagonistas. Quando disse que o tucano José Serra foi nomeado ministro das Relações Exteriores justamente para entregar o pré-sal, tal como prometera aos ianques em 2009, seus olhos arregalaram.

Espantando-o ainda mais, disse que a notícia mais recente era de que o recém-eleito presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (do DEM), havia arquivado a CPI do Carf (a mesma da Operação Zelotes), que visava investigar justamente grandes empresas como Bradesco, Globo (grupo RBS), Santander.

Quando ficou sabendo que a FIESP – a do Paulo Pato Skaf – bancou o impeachment para mudar a CLT e ter suas dívidas perdoadas, sua decepção ficou maior. Ao saber que o SUS tenderá a desaparecer, assim como o PROUNI e FIES, sua vergonha foi evidente.

Fiquei triste por constatar essa falta de informação nas pessoas e pela maneira como foram manipuladas facilmente pelo MBL e outros movimentos “apartidários”, assim como acreditaram nas falas pomposas e recheadas de um falso patriotismo proferido por Aécio Neves (PSDB), Vanderlei Macris (PSDB – a vergonha de Americana!), Carlos Sampaio (PSDB – o golpista de Campinas), Bolsonaro (PSC – o psicopata), Ronaldo Caiado (DEM – apoiador do desmatamento), Paulino da Força (SD – melhor definido com “da Farsa”), para citar alguns e não perder tanto tempo com essa gente que sujou a história da democracia de nosso país.

Por outro lado, pude ver um lado positivo. Há muita gente em dúvida e querendo saber a verdade. Muitos estão acordando e percebendo as reais intenções deste golpe parlamentar. Enquanto educador, senti-me privilegiado por poder informar e mostrar os fatos que foram – e ainda são – omitidos das pessoas, com a ideia clara de manipularem suas opiniões.

(Ah! E antes que digam que eu estava “doutrinando”, acalmem-se, defensores da hipócrita  Escola Sem Partido: primeiro que este garoto não era meu aluno. Segundo, não estávamos em nenhuma sala de aula. Terceiro, exerci meu papel de cidadão em apresentar-lhe fatos, cabendo ao mesmo o discernimento e apropriação de suas convicções – tal como é feito em sala de aula).

De fato, esta tarde foi linda. O brilho histórico da tocha olímpica, trouxe também o brilho da esperança em saber que muitos estão acordando e entendendo que esse impeachment, é golpe!

*Professor, Biólogo, Doutor em Etologia, Mestre em Ciências

Um comentário sobre “À luz da tocha olímpica

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s