O frio à luz da Biologia

*Por Luiz Fernando Leal Padulla

Notem seus corpos nesses dias de frio. Aumento de idas ao banheiro, busca de comidas mais calóricas, tremores de frios, encolhimento na cama, maior letargia.

Tudo isso se explica pela mãe de todas as ciências: a BIOLOGIA.

Somos animais homeotérmicos (temos nossa temperatura corporal constantes, por volta de 36,5oC) e, inseridos em um ambiente mais gelado, perdemos calor (fluxo de energia: sempre do mais quente para o mais frio. Lembre-se do forno ligado e toda irradiação térmica causada na cozinha ao assar um pão!). E isso é um problema para mantermos nosso corpo aquecido. Ou melhor, seria um problema se não houvesse a solução: comer e tremer.

Comemos muito mais em termos de caloria nesse período de frio. Chocolates, sopas, feijoada. Talvez refeições impensáveis (com exceção do chocolate, no meu caso) durante um calor de 40oC, quando transpiramos demais para refrigerar nosso corpo. Isso porque toda a energia química presente nesses alimentos será convertida em energia térmica para manter nosso corpo aquecido.

Mas e o tremor de frio? É um complemento a necessidade de aquecimento. Ao tremermos de frio, geramos energia nesses músculos, aquecendo indiretamente o sangue que fui para todo o corpo. Sim. Ao tremer de frio, “queima-se” caloria também.

Em contra partida, todo esse processo de transformação energética, gera seus resíduos – os chamados metabólitos celulares. E como todo resíduo, devem ser eliminados. E aí entra nosso sistema urinário. Quanto mais metabolizamos as calorias que ingerimos para aquecer nosso organismo, maior a quantidade de urina produzida.

Para auxiliar ainda mais, nossas regiões periféricas (mãos, pés, nariz, orelha) não recebem tanto sangue como habitualmente – daí ficarem mais geladas. Isso porque são regiões onde perdemos mais facilmente o calor corporal, o que não é interessante para a manutenção do bom funcionamento do corpo. A chamada vasoconstrição é um mal necessário para nossa sobrevivência. Isso sem contar toda a integração de nossos hormônios, que regulam, juntamente ao nosso cérebro todo o funcionamento desta máquina chamada corpo humano.

É ou não é lindo?

Há, no entanto, outro problema relacionado ao frio. Quem sofre por hipertensão (pressão elevada), corre o risco de tê-la ainda maior, justamente pelo processo de diminuição do tamanho desses vasos para perder menos calor. O que fazer? Reduza a ingestão de sal, por exemplo.

É por isso que digo para meus alunos: observem seus corpos! Vivam e sintam a Biologia fluindo em cada um de nós! Há melhor maneira de se estudar a vida do que contextualizando-a?

*Professor, Biólogo, Doutor em Etologia, Mestre em Ciências

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s